• ARCHAEOLOGY: Grand Egyptian Museum (Graphic DUE Sep 22, 17:00GMT)
  • SPACE: VIPER lunar rover to search for ice (Graphic DUE Sep 22, 17:00GMT)
  • TECHNOLOGY: Microchip wait times hit record high (Graphic DUE Sep 22, 17:00GMT)
  • F1: Russia GP 2021 video (Video DUE Sep 22, 17:00GMT)
  • For full details of graphics available/in preparation, see Menu -> Planners

Colonização humana mais antiga

no Árctico

A carcaça de um mamute congelado com sinais de ferimentos por armas sugere que havia seres humanos no Árctico da Eurásia há 45.000 anos – dez milénios mais cedo do que se pensava

COLONIZAÇÃO HUMANA

EXTENSÃO CAMADA DE GELO

Sítios paleolíticos conhecidos na

Extensão máxima ocorreu

há cerca de 60.000 anos

Eurásia com mais de 40.000 anos

Último Máximo Glacial*

(há 20.000 anos)

Fóssil de humano moderno

datado de há 45.000 anos

OCEANO

ÁRCTICO

Mar de

Chukchi

Mar de

Bering

70°N

Mar de

Laptev

Mar de

Okhotsk

SIBÉRIA

50°N

Lago

Baikal

1.000km

Local de morte do mamute de Sopoch-

naya Karga (SK) no Árctico da Sibéria

central, alarga a área povoada há mais

de 40.000 anos, de 57°N para quase 72°N

Avanços na caça ao mamute

facilitaram a chegada dos hu-

manos ao Novo Mundo antes

do Último Máximo Glacial

Vestígios no dente (1),

Mamute SK:

osso malar (2), mandíbula (3),

omoplata (4) e costelas (5),

incluem ferimentos talvez

causados por pontas

afiadas como lanças

4

2

5

3

1

5

Quinta

Ponta do dente vista

de vários lados

costela

esquerda:

 

Ferimento

causado

por golpe

cortante

10cm

1cm

1

Ponta do dente mostra

Dente direito:

sinais de remoção de lascas subparalelas,

eventualmente para produzir ferramentas

longas de marfim com bordo afiado para

usar como facas de talhante

Dente

20cm

*Último período

glacial da Terra

quando as camadas de

gelo eram mais extensas

Fonte: Science Magazine

Fotos: Pitulkov et al., Science (2016)

© GRAPHIC NEWS

Colonização humana mais

antiga no Árctico

A carcaça de um mamute congelado com sinais de ferimentos por armas sugere que havia seres humanos no Árctico da Eurásia há 45.000 anos – dez milénios mais cedo do que se pensava

COLONIZAÇÃO HUMANA

Sítios paleolíticos conhecidos na

Eurásia com mais de 40.000 anos

Fóssil de humano moderno

datado de há 45.000 anos

EXTENSÃO CAMADA DE GELO

Extensão máxima ocorreu

há cerca de 60.000 anos

Último Máximo Glacial*

(há 20.000 anos)

OCEANO

ÁRCTICO

70°N

SIBÉRIA

50°N

1.000km

Avanços na caça ao

mamute facilitaram

a chegada dos seres

humanos ao Novo

Mundo antes do

Último Máximo Glacial

Local de morte do mamute

de Sopochnaya Karga (SK)

no Árctico da Sibéria central,

alarga a área povoada há

mais de 40.000 anos, de

57°N para quase 72°N

Vestígios no dente (1), osso malar (2),

Mamute SK:

mandíbula (3), omoplata (4)

e costelas (5), incluem

ferimentos talvez

causados por

pontas afiadas

como lanças

4

2

5

3

1

5

Quinta

costela esq.:

Ferimento causado

por golpe cortante

Ponta do dente

vista de vários

lados

10cm

1cm

1

Ponta do

Dente direito:

dente mostra sinais de lascas

subparalelas, eventualmente

removidas para produzir ferramentas

longas de marfim com bordo afiado

para usar como

facas de talhante

Dente

20cm

*Último período

glacial da Terra

quando as camadas de

gelo eram mais extensas

Fonte: Science Magazine

Fotos: Pitulkov et al., Science (2016)

© GRAPHIC NEWS

Colonização

humana mais

antiga no Árctico

A carcaça de um mamute congelado com sinais de ferimentos por armas sugere que havia seres humanos no Árctico da Eurásia há 45.000 anos – dez milénios mais cedo do que se pensava

COLONIZAÇÃO HUMANA

Sítios paleolíticos conhecidos

na Eurásia com mais

de 40.000 anos

Fóssil de humano moderno

datado de há 45.000 anos

EXTENSÃO CAMADA DE GELO

Extensão máxima ocorreu

há cerca de 60.000 anos

Último Máximo Glacial*

(há 20.000 anos)

Oceano

Árctico

70°N

SIBÉRIA

50°N

1.000km

Local de morte do mamute de

Sopochnaya Karga (SK) no

Árctico da Sibéria central, alarga

a área povoada há mais de 40 mil

anos, de 57°N para quase 72°N

Vestígios no dente (1),

Mamute SK:

osso malar (2), mandíbula (3),

omoplata (4) e costelas (5), incluem

ferimentos talvez causados por

pontas afiadas como lanças

4

2

1

5

3

5

Quinta

costela esq.:

Ferimento causado

por golpe cortante

1cm

1

Ponta do dente

Dente direito:

mostra sinais de remoção de lascas

subparalelas, eventualmente para

produzir ferramentas longas de

marfim com bordo afiado

para usar como

facas de talhante

Ponta do

dente vista

de vários lados

5cm

Dente

*Último

período glacial

da Terra quando as camadas

de gelo eram mais extensas

20cm

Fonte: Science Magazine

Fotos: Pitulkov et al., Science (2016)

© GRAPHIC NEWS

O gráfico mostra os sítios paleolíticos mais a norte da Eurásia com mais de 40.000 anos e vestígios nos restos do mamute que indicam intervenção humana.
GN33828PT

CIÊNCIA

Povomento humano no Árctico

January 14, 2016 - A carcaça de um mamute congelado com sinais de ferimentos por armas sugere que havia seres humanos no Árctico da Eurásia há 45.000 anos – dez milénios mais cedo do que se pensava. Os avanços na caça ao mamute terão facilitado a chegada dos seres humanos à região mais a norte do Árctico siberiano, representando uma importante evolução cultural na época – levando-os às proximidades do estreito de Bering e a uma oportunidade para entrarem no Novo Mundo antes do último Máximo Gracial.

Sources
PUBLISHED: 25/01/2016; STORY: Graphic News; PICTURES: Pitulkov et al., Science (2016)
Advertisement